domingo, 29 de novembro de 2015

Direita Política e Terceira Posição - aos desavisados


Por André Marques

Quando paramos para pensar no "porque", se, visto o tamanho do território brasileiro, sentimos falta, já a muito tempo, de uma verdadeira dissidência político-ideológica com real peso de massa que faça frente às mazelas mais críticas das nossas vidas. Não creio eu, que se trate do (ou somente do) fato de que nosso país não possua um povo que provenha de uma única raiz étnico-racial ou étnico-geográfica, ou que o tamanho de nossas terras seja resultado apenas de um imperialismo real hoje já morto e esquecido, ou que nossa união nacional sempre fora tão artificial quanto pálidos, os motivos de sua solidificação. Claro, que são termos obrigatórios que devem ser buscados quando se fala de qualquer levante ou estratégia ideológica e social autônoma que inclua o Brasil, porém, dentre nós, já faz muito tempo disseminado, um leque atrativo de pensamentos e ideias que ganham terreno cada vez mais entre nossos jovens, levando muitos a buscas de compreensão do que seria de fato a dissidência política ideológica. Mas nesse caminho, muitos são arrastados de volta ao mesmo ponto de partida que sempre nos prendeu.

É muito comum encontrarmos entre as fileiras de homens e mulheres de nosso país que ousam levantar a bandeira de um despertar político-ideológico dissidente nacional, muitos disparates com relação à separação de certas doutrinas ideológicas de posicionamento estratégico. Muito comum que essas pessoas se percam sobre a pressão da “maquina do engano mundial” que são as nossas atuais acessibilidades a notícias rápidas e prática, entre termos como “conservadorismos” e “Direita Política” para fazer frente às “doutrinas marxistas” e “sionistas” disseminadas e diluídas pela mente de outros jovens e adultos do país e de fora. Ou mesmo se mostram defensores ferrenhos da “privatização”, do “American way of life” e de ideias mirabolantes como um governo militar pró-estadunidense, como o já tivemos durante décadas atrás, e aqui estamos depois deles. Mesmo assim, abrem à boca vociferando inconsequentemente, o apoio a terceira via política, as doutrinas Fascistas e Nacional-Socialistas de outrora.

Bem, para os povos da America latina em geral, é importante saber que esse suposto “poder conservador” e a atraente disseminação de uma direita política "nacional” o foi e ainda é extremamente nociva e só nos levará a retroceder mais uma vez.

É de suma importância relembrar e encaixar bem dois parâmetros, um ideológico, outro, geopolítico. O primeiro é de que a ideia de direita política/conservadorismo sempre esteve oposta totalmente a Terceira Via como ideologia e suas vertentes. Foram e são os seus maiores inimigos.

A ideia de “Direita”, está alienada diretamente ao “pensamento conservador”, mas esse pensamento não está associado exclusivamente a conservar algo tradicional (governo, organização social e cultural), ou seja, o costume implantado por alguém ou algo ao longo da história benéfico ou valido para o coletivo de um povo ou nação. Sua ideia original é preservar ou refinar o modo como aqueles que, são donos do establishment, governam e conduz a massa, indiferente dos danos. Essa ideia surge na Revolução Francesa de 1789, onde a bancada da direita do Assembléia Geral era a da nobreza, que queria conservar o governo monárquico absoluto, o mesmo que levara o país a bancarrota e ao extremo da corrupção, preservando o antigo regime. Indiferente do fato de que a França da época, agarrando em mãos judaico-maçônicas através dos revolucionários que se sentavam a esquerda (sinônimo de quem faz “oposição”), no antigo regime, não havia voz do povo, dos comuns, e a massa passava fome. É assim hoje como o capitalismo moderno (ou anarco-capitalismo) e as doutrinas "socialistas" vermelhas. Por isso a Terceira Via não está vinculada a nenhum desses lados. E muito menos as mesmas se vinculam a Terceira Via.

A "moda" dos agentes da desinformação no Brasil de hoje, como Olavo de Carvalho, Constantino e tantos outros é "rotular" o Fascismo, o Nacional-Socialismo e até mesmo os nacionalismos ascendentes de terceira posição no século XX estão no mesmo patamar do "comunismo". Diferente da esquerda, a direita política internacional a supera por ser mais versátil, não constituir códigos ou doutrinas de honra, apoiando movimentos violentos e massacrantes dos próprios comuns que propositalmente levantam as bandeiras da Terceira Via.

Historicamente, a ideia de “direita conservadora” e o “bem estar interno” norte-americano em relação a sua organização social, financeira e cultural se comparado com outros países da América está relacionado ao fato que esse mesmo sentimento positivo interno só é possível devido ao fato de esses mesmos governos (donos da situação, establishment) manterem a desordem e os caus interno entre seus vassalos direitos e indiretos.

A Terceira Via emergiu disso. Nem do lado “direito” tão pouco “esquerdo”. Entendi-se nesse caminho alternativo que ambos são tentáculos da mesma fera marinha, que agora habitando entre as águas do Atlântico aponta-os para as nações e seus governos conformistas e entreguistas...ou não. A autonomia dos povos, a preservação de seus próprios modos, o amadurecimento e evolução pelo seu próprio endurecimento e justiça a coexistência entre nós, sem interesses terceiros é o que almejamos. Real autonomia! Direito de viver sem ser escravo, trabalhar para si. Isso já puxa o segundo motivo, o geopolítico...

Estátua Inca (Peru)
Não é possível para nós sul-americanos ou qualquer outro, termos qualquer tipo de esperança de autonomia política, cultural, financeira e social se nos basearmos em um estilo de vida (organização política) estadunidense ou “atlantista” (OTAN, ONU), pois eles mesmos são o retrato dessa total perda, de um alinhamento podre em nome de uma elite global que só esta aqui com um único fim de espoliar os povos, onde a América inteira se tornou seu “quintal”. Nem tão pouco podemos confiar em seus filhos político como os regimes militares entreguistas do século XX, pois isso significa deliberadamente curvamo-nos diante dos senhores globais sem nação ou povo, para trucidar nossos valores, seja você de qual etnia ou raça for. Lembre-se que o Sionismo internacional e as forças da globalização e do multiculturalismo foram as que os tornou viáveis e essas formas de organização não respeitam o tradicionalismo nos povos, se não só a seus mestres. Sendo assim, se mesmo após isso, você defende ideias da direita política conservadora e seus filhos, você jamais poderá dizer-se um “dissidente”, um rebelde, nem tão pouco entenderá nossa causa, muito menos poderá erguer sua mão direita e falar em nosso nome, pois não defende a mudança, defende a situação como ela é. 

Sendo assim só lhe restará dois caminhos...um deles você seguirá, nunca os dois.

2 comentários:

  1. Todo ano levam um tri so em juros dos babacoes faltando tudo de sus a fies o ke e um ap de 50 mi do fhc agente em paris em um ano?a margem de lucro so ali foi de 999 bi 950 mi somente

    ResponderExcluir

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...