sábado, 25 de outubro de 2014

2 milhões de alemãs - O Maior estupro em massa da História

Na foto, mulheres que suicidaram-se em uma praça, para não vivenciarem os estupros.

Aos 80 anos, Gabriele Köpp tem problemas com sono, por vezes, simplesmente não consegue comer. Aos 15 anos, ela foi repetidamente violada por soldados soviéticos, sendo virgem e não tendo nenhum conhecimento prévio sobre o sexo.

A revista "Spiegel" escreve que não existem os dados exatos sobre a quantidade de mulheres alemãs violadas pelo exército soviético, o número que aparece em várias publicações aponta para dois milhões de mulheres (2.000.000). Segundo a investigação do Dr. Philipp Kuwert, especialista de traumas e chefe do Departamento de Psiquiatria e Psicoterapia do Hospital universitário de Greifswald, a idade média das vítimas de violações soviéticas era de 17 anos e cada mulher foi violada em média 12 vezes. Quase metade das vítimas possui síndromes pós – traumáticos, incluindo os pesadelos, tendências de suicídio, anestesia emocional. Cerca de 81% destas mulheres adquiriram o efeito negativo direto sobre a sexualidade.

A historiadora Birgit Beck-Heppner escreve que os soldados soviéticos usavam as violações para intimidar as populações alemãs, mostrando que o seu governo e exército já não lhes conseguiam garantir a segurança. Por isso, muitas destas violações eram executados em público (!).

Em 1945, os soviéticos foram os primeiros a chegar em Berlim. Mesmo após a rendição da Wermacht e dos Nacional-Socialistas, o sofrimento do povo alemão parecia não ter fim. Os soldados do Exército Vermelho invadem casas, arrancam mães e filhas de suas famílias e as estupram em praça pública, algumas foram estupradas várias vezes por grupos de até 10 soldados. Mais de 2 milhões de mulheres alemãs foram estupradas só em 1945, desde crianças de 8 anos à idosas de 80.

A “doença russa”

Propaganda de guerra alemã alertando sobre o perigo dos massacres russos



Gabriele Köpp lembra na conversa com o jornalista da "Spiegel" que a sua menstruação parou por completo durante os 7 anos. Naquela época era um sintoma bastante comum entre as alemãs e era chamado pelos ginecologistas de “doença russa”.

Quanto Gabriele Köpp é perguntada se conheceu o amor, se teve alguma vez as relações sexuais, ela responde: “Não, não tive nada disso. Para mim existia apenas uma coisa – a violência”.

A culpabilidade dos aliados e a tentativa de abafar o assunto

O estupro em massa das mulheres em Berlim foi negado pelos países aliados (E.U.A, Inglaterra, França, União Soviética, etc;) pois conflitavam com a imagem de "vitoriosos civilizados e libertadores da opressão" que queriam passar para a opinião pública mundial. Porém, esse tabu foi quebrado quando Austin J. App, professor de língua inglesa na Catholic Univesity abordou esse tema embaraçoso (para os aliados, é claro!) em seu livro "Ravishing the Women of Conquered Europe" publicado em Abril de 1946. Na sequencia Antony Beevor também publicou o livro "Berlim: The Downfall, 1945" ("Berlim: A queda, 1945"), abordando o mesmo tema. Alguns relatos eram tão aterradores que o autor, prudentemente publicou apenas em seu site (nota 1). Ingrid A. Rimland também ecoou os gritos das alemãs estupradas nesse fatídico e vergonhoso episódio da guerra chamando o governo dos E.U.A à responsabilidade pois muitos desses estupros foram cometidos por soldados norte-americanos
(nota 2 ).


Suicídio coletivo feminino na Alemanha do pós-guerra. Foto sem atribuição retirada em Berlim, há época

Muitos historiadores creditam essa postura animalesca dos soldados aliados (notadamente dos soviéticos) ao anti-germanismo em vigor na Europa, alimentado desesperadamente e imprudentemente pela imprensa aliada. Pois a Alemanha não fora o único país a sofrer esses tipos de danos. Porém, nesse panorama vergonhoso, alguns testemunhos relatam a ainda a tentativa disciplinar de alguns poucos oficiais que tentavam manter a ordem. Dentre os testemunhos está o de um general soviético que matou um tenente, seu comando, ao flagrá-lo organizando uma fila de mais de 10 soldados para estuprar uma mulher alemã, já deitada no chão.
garota alemã "libertada" pelos vencedores da tirania

Registros da Igreja Católica relatam que num convento da cidade de Neisse, na Silésia, 182 freiras foram estupradas, seguidas vezes, pelos soldados aliados. Numa outra cidade alemã, 66 freiras engravidaram após seguidos estupros por parte dos invasores. Até mulheres russas que estavam prisioneiras, judias e de outras etnias em campos de concentração foram estupradas impiedosamente pelos seus próprios "libertadores".


Em Berlim, desesperadas por uma situação que não parecia ter fim, muitas mulheres alemãs se jogaram dos prédios em ruínas, preferindo a morte. Outras com filhos para criar, preferiam "contar com a proteção" de algum oficial aliado de alta patente, para acabar com o ciclo de estupro em série a que eram submetidas diariamente pelos soldados. Aquelas que engravidaram e tiveram filhos, frutos dos estupros em série a que foram submetidas ainda tiveram, com certeza, que suportar o repúdio moral e social.


A arte alemã se expressando como deveria ser

Cena do Doc HellStorm, mostrando uma mulher alemã perdida 

Em 23 de Outubro de 2008 foi lançado na Alemanha o filme "Anonyma - eine Frau in Berlim" (Anônima -  Uma Mulher em Berlim) baseado no livro de mesmo nome, escrito por Marta Hiller, alemã que sofreu entre 20/04/45 a 22/06/45, aos 31 anos, os horrores da Segunda Guerra Mundial quando vivia em Berlim, capital da Alemanha. O livro, é um relato perturbador sobre os abusos sexuais sofridos pelas mulheres da Alemanha em 1945. Marta foi uma das centenas de milhares de mulheres berlinenses, entre adolescentes, adultas e idosas, que sofreram estupros em série quando os soldados soviéticos invadiram Berlim, a capital do III Reich. Seus relatos são corroborados pelos da jornalista russa Natalya Gesse, então correspondente de guerra em Berlim, hoje aposentada.


Quando se trata do tema, muitos pesquisadores tendem a afirmar que esse comportamento deve-se a situação de extremo estresse durante a guerra, longos períodos de abstinência sexual, agravada por pressão psicológica constante....etc; Até então, algo conhecido e óbvio, mas duas coisas têm que ser bem esclarecidas pelos que se dizem "especialistas conceituados"...


1 - Se a estratégia de guerra aliada realmente não estivesse interessada em fazer vista grossa total sobre as ações descontroladas e indisciplinadas que ocorriam com os civis alemães, principalmente suas mulheres, tais fatos não teriam acontecido, pelo menos não em tão larga escala escancarada. 

2 - Tais motivos para o comportamento do combatente estão presentes em todos as guerras, nem por isso, tais atitudes são cometidas, não sendo por um outro e potencial fator, a extrema propaganda de guerra que chegava a níveis de uma lavagem cerebral....tal como hoje. - NT.

mulher ou "corpo de mulher" sendo molestada por soldados russos pousando para fotografia na cargueira de caminhão

Mais de 240.000 mulheres morreram neste período,sendo mais de 100.000 em Berlim. Após o verão de 1945, os soldados soviéticos flagrados cometendo tal ato recebiam punições de enforcamento ou prisão.


Entretanto, os estupros continuaram até 1948, quando a Alemanha finalmente recuperou sua estrutura política e os soldados da União Soviética e aliados estavam apenas em postos de guarda, separados da população civil.


Fontes de pesquisa: 
Recanto das LetrasWikipédiaMídia Inversa

Artigo disponível na sessão: Historia Geral

NOTAS


(1) www.antonybeevor.com

(2) - Principalmente, pela divisão de soldados negros do exército estadunidense, em breve postaremos o artigos somente sobre o assunto. 

Veja Também:

Hellstorm - o verdadeiro genocídio

O calvário das viúvas da ocupação


A mulher, a guerra e a sociedade


O Plano Morgenthau, um genocídio alemão (PARTE I)


Adolf Hitler, Discurso as mulheres em 1936

31 comentários:

  1. muito bom este blogue, camarada. adicionei à minha lista de blogues.
    algumas coisas aqui relatadas eu desconhecia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kk achei o blog por tua causa mas ja tinha acessado um sentinela decada passada na epoca do orkut mas o gajo era integralista e falava de uma sede vizinha a ke este citou entao nao acho ke sejam os mesmos

      Excluir
  2. Também adicionei seu blog que é excelente camarada!

    Quanto ao tópico, é uma conta que tem de ser acertada.

    A justiça só será completa quando a escumalha toda, essa fusão toda de sujeira e covardia consumir a si mesma, e o que há de melhor na humanidade se propague.

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado por gostarem do trabalho, camaradas. Faço minhas suas palavras.

    ResponderExcluir
  4. 1) Holocausto de 7 mil crianças e bebês alemães na Dinamarca APÓS término da Guerra:

    http://www.wintersonnenwende.com/scriptorium/english/archives/articles/7000children.html

    2) “Eu posso categoricamente confirmar que o ataque a Dresden é uma mancha negra no registro de guerra da Grã-Bretanha. As tripulações no meu esquadrão estavam convencidos de que esse ato perverso não foi instigada pelo nosso muito respeitado ‘Butch’ Harris, mas por Churchill. Eu esperei 29 anos para dizer isto, e ele ainda me preocupa ”

    Fonte: http://www.whale.to/b/lindemann_h.html

    3) “Para descrever os detalhes e resultados de cada ataque efetuado pelas forças aéreas inglesa e americanos na contra a população civil alemã e que muitas vezes atingiam também prisioneiros das mais diferentes nacionalidades, entre eles, os que se encontravam em campos de concentração, seriam necessários milhares de livros. Porém, como acontece em toda guerra, a primeira vítima que se faz é a verdade, e a versão do vencedor é a que prevalece, tornando-se “verdade histórica”.”

    População germânica em 1939…………82.000.000 hab.
    População germânica em 1986…………83.000.000 hab.

    Fonte: http://www.luftwaffe39-45.historia.nom.br/historia/bomb.htm

    Frederick Alexander Lindeman:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Frederick_Lindemann, http://www.whale.to/b/lindemann_h.html

    4) “As datas escolhidas para este ataque específico (a Dresden) sobre o povo alemão coincidiu com o dia santo cristão da “Quarta Feira de Cinzas”. Poucas pessoas estão cientes do facto da “Bíblia Sagrada” não ser nada mais do que um livro de feitiçaria judaica. Para saber mais sobre isso, veja expondocristianismo.weebly.com. Os judeus usaram esta data (direcionando a energia espiritual dos cristãos) para reduzir Dresden a cinzas. Assim foi em Dresden, um centro cultural alemão histórico, onde muitos milhares de mulheres e crianças alemãs, refugiados do comunismo estavam reunidos. Eles foram assegurados pela Cruz Vermelha de que estariam seguros, mesmo quando os generais judeus estavam se preparando para assassinar os homens. Os judeus de sangue enlouquecido desejavam não só matar o maior número possível de civis alemães, mas também apagar da história todas as evidências da civilização ocidental, os maiores exemplos de cultura branca que haviam sido reunidos em Dresden, porcelana insubstituível, quadros impagáveis, mobiliário barroco e mansões rococós com sua poesia esculpida em pedra. Todos foram devastados em um bombardeio massivo em que cerca de 300.000 civis alemães morreram na cidade, que não era nem mesmo um alvo militar!”

    Fonte: http://verdadeiroholocausto.weebly.com/bombardeio-de-dresden.html

    ResponderExcluir
  5. 5) “Na antiga Alemanha Oriental, a data de 13 de fevereiro até alguns anos atrás (não sei hoje), era reverenciada com o toque dos sinos por aproximadamente 20 minutos. A “imprensa internacional” no entanto, sempre procurou de todas as formas, ignorar ou minimizar o acontecimento, dando destaque apenas aos casos de Guernica e Londres, além de Hiroshima e Nagasaki. (…) A parte irônica destes acontecimentos ocorridos no Japão, é a explicação dos norte-americanos para o inexplicável ataque terrorista , “poupar perdas humanas”, acelerando o término do conflito, que viria mais cedo, e veio. Acho que eles se referiam às perdas dos seus próprios soldados, ou na pior das hipóteses, não consideravam os japoneses como seres humanos!”

    Ataques Aéreos a Dresden:

    Data..............................Horário.....................Potência

    1º em 13/02/45.......22:09hs às 22:35hs.......~3.000 bombas de alto poder explosivo
    ...........................................................~400.000 incendiárias

    2º em 14/02/45.......01:22hs às 01:54hs.......~4.500 bombas de alto poder explosivo
    ...........................................................~170.000 incendiárias

    3º em 14/02/45.......12:15hs às 12:25hs.......~1.500 bombas de alto poder explosivo
    ...........................................................~50.000 incendiárias.

    4º em 15/02/45.......12:10hs às 12:50hs.......~900 bombas de alto poder explosivo
    ...........................................................~50.000 incendiárias

    Relação, entre outras, a destruição de:

    – 30 edifícios de bancos,
    – 36 de seguradoras,
    – 31 lojas de apartamentos,
    – 32 grandes hotéis,
    – 25 grandes restaurantes,
    – 75 edifícios municipais,
    – 06 teatros,
    – 18 cinemas,
    – 647 locais de negócios,
    – 02 museus,
    – 19 igrejas,
    – 06 capelas,
    – 22 hospitais,
    – 72 escolas,
    – 05 consulados, incluindo os da Espanha e Suíça.

    “Este é um belo bombardeio”, comentou o líder da formação na época.
    Conforme relatado posteriormente, por tripulantes desta missão, foi-lhes dito na Inglaterra: “Iriam atacar o Q.G do exercito alemão em Dresden”.

    “Foi a primeira vez que lamentei os alemães”, contou o tripulante de um Lancaster pertencente ao 635º Esquadrão da RAF. “Mas o meu pesar durou apenas alguns segundos, a tarefa era ferir o inimigo, e feri-lo muito duramente”.

    Outro cita que “pela primeira vez em muitas operações tive pena da população em terra”.

    Fonte: http://www.luftwaffe39-45.historia.nom.br/historia/dresden.htm

    Por estes comentários, percebemos a índole do “soldado” aliado e imagine a liderança.

    Enfim, é notável que este foi o único holocausto naquele período bélico e imediadamente pós-guerra. E talvez tenhamos novidades, pois vários pesquisadores andam contestando os números de baixas soviéticas. O que realçaria o drama único e verdadeiro do povo alemão.

    ResponderExcluir
  6. excelente a pagina e só vem a acrescentar mais sobre a verdadeira historia da SECOND WAR

    ResponderExcluir
  7. se o invasor do meu país, matasse crianças e idosos em câmaras de gás, escravizasse homens e mulheres até a morte, e eu fizesse parte do exército que revidou e invadiu tal país, não faria por menos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai estudar! E deixa de assinar atestado de lobotizado de sião.

      Excluir
    2. Só um imbecil confunde "Justiça" com "vingança". É o que muitos Sionistas fazem!

      Excluir
  8. Cala a sua boca seu judeuzinho arrombado! Depois quando vocês apanham ficam chorando e se passando por vítimas. "Holocausto" ou melhor HOLOCONTO mesmo. O vitimismo judaico não cola mais.

    ResponderExcluir
  9. REalmente judeus..VCs não precisam de 95% do tesouro mundial.

    ResponderExcluir
  10. E esse pessoal, querendo por panos quentes. Todos os povos sofreram coisas horríveis. As mulheres e homens de todos os povos sofreram e sofrem maldades inimagináveis. Na história da humanidade, a marca registrada é crueldade! O que piorou hoje em dia: Esse vitimismo, que muitos se aproveitam disso e fazem uma arma em potencial com ele. Nenhum povo nasceu em berço de ouro. Caíram e se levantaram, várias vezes. Mas hoje em dia, há aqueles que querem tudo na boquinha. Quebrou, pagou. Nunca foi assim antes! Quem era quebrado, levantava-se sozinho. "Ah, mas tal povo foi quebrado e foi deixado as próprias custas!" Isso sempre aconteceu, com todos! Mas o que melhorou hoje? A liberdade de pensar, de refletir consigo mesmo sem ser extremamente perseguido ou ameaçado constantemente. Só pensa quem quer. E, infelizmente temos muitos preguiçosos...

    ResponderExcluir
  11. Só sendo mesmo uma mulher para poder imaginar tamanho horror e nojo dessa tragédia e conseguir entender porquê a morte era muito mais digna.

    ResponderExcluir
  12. Só uma pessoa muito doente e doutrinada consegue ignorar um fato selvagem e deprimente como esse. A esquerda prega o sonho de um mundo perfeito, mas para conseguir os seus objetivos aceita com muita passividade qualquer tipo de massacre.

    ResponderExcluir
  13. Li tudo no ano passado na BBC BRASIL..fiquei de cara! Os filhos de alguns escritores lutam para liberarem certos livros
    mas as forças ocultas impedem! CANALHADA!!

    ResponderExcluir
  14. "ALIADOS" até hoje posam de HERÓIS da Segunda Guerra Mundial ! Mas escondem da População Mundial este TRISTE e IMORAL Acontecimento,julgando até hoje infelizmente só os Alemães ! O que me dá mais Raiva e Nojo,que a Mídia Mundial nunca falou sobre este Acontecimento !

    ResponderExcluir
  15. O estupro das alemãs seguiu o mesmo Modus Operandi de CRÍSTEROS ocorrido entre 1926 e 1929 https://askatasunaren.blogspot.com.br/2015/06/cristeros-outro-crime-judaico-maconico.html

    "For Greater Glory" (vide https://www.youtube.com/watch?v=-H_gXSgrMYs ), um raro filme francamente pró-católico com excelente qualidade de produção. Foi um sucesso no México, mas teve uma recepção silenciada nos EUA.

    Lucas 06:44 ensina-nos a ler OS FATOS até de olhos fechados

    http://img.picturequotes.com/2/3/2941/truth-is-still-truth-even-if-no-one-believes-it-a-lie-is-still-a-lie-even-if-everyone-believes-it-quote-1.jpg

    https://lh5.googleusercontent.com/–E4PSXmmoCk/U1UrhPLDLNI/AAAAAAACqz8/HrfuCETIL9MCL53tBop3SVWFNKF-L8L4ACL0B/w506-h253-no/BkLZCopCcAA9cM_.jpg

    https://www.youtube.com/watch?v=Pisntoyxj2I ENTREVISTA A LA SRA URSULA HAVERBECK, REVISIONISTA ALEMANA DE 86 AÑOS

    https://www.youtube.com/watch?v=mg6BF6dVJQQ La verdad sobre Elie Wiesel

    https://www.youtube.com/watch?v=F72PQV5j0rA El JUDÍO quería esta GUERRA – Robert Ley, Adolf Hitler

    https://drive.google.com/file/d/0BzbRXPpHfCJDR3FicjRvU3ltUjg/view “abyssus abyssum invocat “ = deep calls unto deep; Hell calls hell (One mistep leads to another) Hell calls hell (One wrong doing causes another)

    https://verbotenesarchiv.files.wordpress.com/2015/04/sex-grooming-uk-1.jpg Sublata causa, tollitur effectus when the cause is removed, the effect ceases


    “Je weiter sich eine Gesellschaft von der Wahrheit entfernt, desto mehr wird sie jene hassen, die sie aussprechen.” George Orwell “QUANTO MAIS SE DISTANCIA DA VERDADE, MAIS SE ODEIA AQUELES QUE A DIZEM”

    ResponderExcluir
  16. Não há erro que justifique outro, essa que é verdade.

    Até pouco tempo não dava muita bola para assuntos de guerra no que tange decidir quem é o mocinho ou o vilão, só depois da invasão do Iraque é que juntei os detalhes (EUA + crise do petróleo + Iraque grande produtor = Guerra p/ libertar o povo iraquiano)

    Só existe guerra onde há algo interessante economicamente.

    É simples, uma nação que sempre se beneficiou financeiramente das guerras não quer salvar ninguém além de si próprios.



    ResponderExcluir
  17. Não sabia de toda essa violencia...é mesmo muito sério essa parte da história, e foi
    escondida de todos, lamentável tanta falta de respeito humano.

    ResponderExcluir
  18. Confirmo através dos comentários, infelizes, o que ainda existe na cabeça de muitos. Constato, que esses de nada se diferenciam dos robôs humanos alienados, que em nome de "suas" causas e ideais se acham no direito de decretar o martírio da vida alheia! O ser humano tem demonstrado ser tão medíocre, visto que, não consegue evoluir nem com os erros dos outros!

    ResponderExcluir
  19. Muito bom...há assuntos que não conhecia, gostei.

    ResponderExcluir
  20. ótimo. essas histórias acabam não sendo contadas aqui no Brasil doutrinado pela esquerda.

    ResponderExcluir
  21. Quero parabenizar o autor do Blogg "O Sentinela". posso dizer que possui um material de excelência e muito esclarecedor, alguns fatos já conhecia, mas tenho que confessar que muitos desconhecia. Esta é a função da historicidade, trazer fatos e evidências novas para que a história possa ser reescrita.
    Jairo Inglat
    ajinglat@gmail.com

    ResponderExcluir
  22. Q horror! Principalmente de uma certa parte destacada em cor diferente.. Não aguento mais viver entre esses sub humanos ! Parece q nunca seremos livres, somos reféns de tudo que nos causa asco nesse mundo judaizado.

    ResponderExcluir
  23. Bombardeio de Dresden, estupro em massa de mulheres alemãs, terror vermelho, etc. Os crimes do bolchevismo satânico-judaico contra europeus cristãos são sem dúvidas as maiores e mais horríveis barbáries da humanidade. O fato disso ser completamente ignorado pela mídia mainstream só mostra que o sistema está nas mãos dos perpetradores destes crimes terríveis.

    ResponderExcluir
  24. Respostas
    1. ... sem palavras https://www.youtube.com/watch?v=5FNaPH3Ez4E

      https://i2.wp.com/s29.postimg.org/gs1xk1gcn/Zwischenablage.jpg QUEM DESCONHECE A VERDADE É APENAS UM DESINFORMADO, MAS AQUELE QUE A CONHECE E A DENOMINA MENTIRA - ESTE, É UM CRIMINOSO.

      Excluir
  25. Com tantas tentativas de destruição do povo alemão, o que os senhores do mundo querem exatamente com esse ato, qual o significado do povo alemão dentro do tabuleiro de guerras sem fim.... a invasão islâmica já segue em passo para mais uma guerra na Alemanha. será o de sempre Inglaterra, França e EUA numa corrida para mais dinheiro e poder??? Exterminar os melhores pensadores da humanidade e levar o restante ao cabresto?

    ResponderExcluir
  26. NEM EM HOSPITAL PUBLICO SE VE TANTO DOENTE JUNTO.

    ResponderExcluir

O Sentinela - Mídia dissidente brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...